Maison

Eu, em 2018.

Eu em 2018

Eu, em 2018.

  • Não consegui terminar nenhum livro que comecei a ler. Tenho o hábito de começar vários ao mesmo tempo e nunca os termino.
  • Aprendi finalmente a usar o meu Bullet Journal e os códigos que o mesmo sugere para me organizar nas tarefas.
  • Tirei muito menos fotografias. Mas também fui mais vezes fotografada.
  • Só bebi Cabriz Tinto!
  • Consegui lançar a nova imagem da Lance, fazer vídeos, fotos, uma loucura.
  • Usei muitas vezes Uber Eats. E quase nunca almocei fora durante a semana.
  • Tive que trabalhar nas férias de Verão.
  • Fui duas vezes à Madeira e uma delas fui no cockpit.
  • Fiz mais obras n’A Base, e agora temos o melhor clima tropical lá dentro. Nunca se tem frio, nem calor, está perfeito.
  • Comi pizza quase todos os domingos.
  • Atualizei todos os meus computadores e o macOS Mojave deu asneira. Tive de reverter tudo de novo.
  • Paguei mais aplicações e programas que em qualquer outro ano. Fazer o quê? Organização requer muitos aplicativos.
  • Deixei por mais um ano na gaveta, um dos projetos que tenho ideia de lançar.
  • Não cheguei a fazer novos cartões da Lance.
  • Tive a melhor companhia, e colega, para trabalhar junto a mim.
  • Usei 2 agendas em papel ao mesmo tempo, só porque uma dava mais jeito para planear o mês inteiro, e outra porque era gira.
  • Voltei a Paris, Nova York e Londres.
  • Aceitei uma proposta para vender o domínio do meu blog.
  • Não escrevi uma única vez no meu blog Tribe Land.
  • Passei a escrever mais no blog da Lance.
  • Dei menos Workshops, mas tive mais formadores novos.
  • Voltei a usar saltos.

É o equilíbrio entre altos e baixos que me faz abraçar um novo ano!

Fotografia de Daniela Sousa Photography

Comentários

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.